terça-feira, 1 de maio de 2012

SUGESTÕES DE ATIVIDADES :Textos



SECRETARIA  DE  EDUCAÇÃO  CULTURA  E DESPORTO
PRAÇA 29 DE DEZEMBRO Nº 57
DEPARTAMENTO  PEDAGÓGICO



  SUGESTÕES DE ATIVIDADES




Atividade

1. Leia com atenção o texto que se segue, sublinhe todos os substantivos.
Lúcia e Rogério foram ao Carrefour em Salvador para fazer algumas compras. Logo depois que saíram do caixa, foram até o McDonald’s e compraram uma Coca-Cola bem geladinha, porque estava muito calor.
No caminho para casa, Rogério estava distraído com seu Fandangos e acabou sujando seu Nike em uma poça de lama que tinha na calçada.Lúcia aproveitou que iam passar na frente de uma banca e comprou uma Mônica para ler mais tarde.
Quando chegaram em casa, Rogério estava todo suado e resolveu tomar um banho e se refrescar. Enquanto isso, Lúcia ficou assistindo um pouco de TV, pois já estava passando Procurando Nemo e ela não podia perder.
2. Retire os substantivos que:
a) indica lugar.
b) nomeiam seres humanos.
c) nomeiam objetos
3. Retire os substantivos concretos e comuns.
4. Escreva os substantivos primitivos correspondentes:

a) goiabada:
b) relojoeiro:
c) mangueira:
d) cajueiro:
e) padaria:
f) mesário:
g) borracharia:
5. Justifique por que as palavras abaixo foram escritas com letra maiúscula.
Carrefour:
McDonald:
Coca-Cola:


Escola:______________________________________________________
Série:______________ Turma____________ Turno__________
Aluno(a)__________________________________________

1.Leia o início da crônica “Ela”, de Luis Fernando Veríssimo.
Ainda me lembro do dia em que ela chegou lá em casa. Tão pequenina! Foi uma festa. Botamos ela num quartinho dos fundos. Nosso filho ficou maravilhado com ela. Era um custo tirá-lo da frente dela para ir dormir.
Combinamos que ele só poderia ir para o quarto dos fundos depois de fazer todas as lições.
- Certo, certo.
- Eu não ligava muito para ela. [...]
a) O Narrador não informa precisamente quem chegou, mas dá algumas pistas. O que sabemos sobre ela?
b) Qual a palavra que se refere a quem chegou?
c) Qual é o sentido que a repetição dessa palavra traz para o texto?
d) Levante uma hipótese sobre qual seria o motivo das mudanças no cotidiano da família. Justifique sua resposta com elementos do texto.
e) Reescreva o texto substituindo a palavra repetida pela hipótese que você levantou.
f) Copie do texto as palavras que substitui o substantivo filho.
g) Classifique, quanto a classe gramatical, as palavra que você copiou no item anterior.

                                                    Texto
           A água mineral é hoje associada ao estilo de vida saudável e ao bem-estar. As garrafinhas de água mineral já se tornaram acessórios de esportistas e, em casa, muita gente nem pensa em tomar o líquido que sai da torneira – compra água em garrafas ou galões. Nos últimos dez anos, em todo o planeta, o consumo de água mineral cresceu 145% – e passou a ocupar um lugar de destaque nas preocupações de muitos ambientalistas.
         O foco não está exatamente na água, mas na embalagem. A fabricação das garrafas plásticas usadas pela maioria das marcas é um processo industrial que provoca grande quantidade de gases, agravando o efeito estufa. Ao serem descartadas, elas produzem montanhas de lixo que nem sempre é reciclado.
Muitas entidades ambientalistas têm promovido campanhas de conscientização para esclarecer que, nas cidades em que a água canalizada é bem tratada, o líquido que sai das torneiras em nada se diferencia da água em garrafas. As campanhas têm dado resultado nos lugares onde há preocupação geral com o ambiente e os moradores confiam na água encanada.
Apenas nos Estados Unidos, os processos de fabricação e reciclagem das garrafas plásticas consumiram 17 milhões de barris de petróleo em 2006. Esses processos produziram 2,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono e outros gases do efeito estufa, poluição equivalente à de 455.000 carros rodando normalmente durante um ano. O dano é multiplicado por três quando se consideram as emissões provocadas por transporte e refrigeração das garrafas.
O problema comprovado e imediato causado pelas embalagens de água é o espaço que elas ocupam ao serem descartadas. Como demoram pelo menos cem anos para degradar, elas fazem com que o volume de lixo no planeta cresça exponencialmente. Quando não vão para aterros sanitários, os recipientes abandonados entopem bueiros nas cidades, sujam rios e acumulam água que pode ser foco de doenças, como a dengue.
A maioria dos ambientalistas reconhece evidentemente que, nas regiões nas quais não é recomendável consumir água diretamente da torneira, quem tem poder aquisitivo para comprar água mineral precisa fazê-lo por uma questão de segurança. De acordo com relatório da ONU divulgado recentemente, 170 crianças morrem por hora no planeta devido a doenças decorrentes do consumo de água imprópria.
(Adaptado de Rafael Corrêa e Vanessa Vieira. Veja. 28 de novembro de 2007, p. 104-105)
1. Conclui-se corretamente do 2o parágrafo do texto que parte da solução do problema apresentado está na:
(A) interferência de ambientalistas no controle da fabricação das garrafas de plástico.
(B) definição do espaço onde as garrafas possam ser descartadas, evitando o entupimento de bueiros e o acúmulo de água.
(C) possibilidade, ainda que remota, de distribuição de água mineral em regiões onde não há água canalizada.
(D) substituição das embalagens plásticas, para que não restem resíduos na natureza, degradando-a.


(E) oferta de água canalizada de boa qualidade, para diminuir o engarrafamento de água mineral em todo o mundo.
2. O argumento que justifica a preocupação com o meio ambiente, de acordo com o texto, está na afirmativa:
(A) A água mineral é hoje associada ao estilo de vida saudável e ao bem-estar.
(B) Nos últimos dez anos, em todo o planeta, o consumo de água mineral cresceu 145% ...
(C) As garrafinhas de água mineral já se tornaram acessórios de esportistas ...
(D) Muitas entidades ambientalistas têm promovido campanhas de conscientização ...
(E) As campanhas têm dado resultado nos lugares onde há preocupação geral com o ambiente...
3. Identifica-se relação de causa e consequência, respectivamente, no segmento:
(A) O foco não está exatamente na água, mas na embalagem.
(B) As campanhas têm dado resultado nos lugares onde há preocupação geral com o ambiente e os moradores confiam na água encanada.
(C) Apenas nos Estados Unidos, os processos de fabricação e reciclagem das garrafas plásticas consumiram 17 milhões de barris de petróleo em 2006.
(D) Como demoram pelo menos cem anos para degradar, elas fazem com que o volume de lixo no planeta cresça exponencialmente.
(E) Quando não vão para aterros sanitários, os recipientes abandonados entopem bueiros nas cidades, sujam rios e acumulam água ...
4. ... quem tem poder aquisitivo para comprar água mineral precisa fazê-lo por uma questão de segurança. (último parágrafo). O segmento grifado evita a repetição, no contexto, de:
(A) ter poder aquisitivo.
(B) consumir água da torneira.
(C) comprar água mineral.
(D) evitar doenças decorrentes de água não potável.
(E) reconhecer as regiões onde a água é imprópria.
5. Dê um título para o texto e justifique o porquê da sua escolha.
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Atividade Escrita – 9º ano – Língua Portuguesa
1. Relacione as colunas com o significado dos radicais formadores das palavras da a 1ª coluna.
(a) Ortografia ( ) água / horror
(b) Sonoterapia ( ) coração / escrita
(c) cronômetro ( ) amigo / sabedoria
(d) filósofo ( ) tempo / o que mede
(e) hidrofobia ( ) terra / descrição
(f) televis ( ) vida / escrita
(g) biografia ( ) longe / visão
(h) geografia ( ) correto / escrever
(i) cardiograma ( ) alma / estudo
(j) psicologia ( ) sono / cura
2. Procure na lista de radicais gregos e latinos os radicais referentes aos significados abaixo e forme a palavra correspondente. observe o exemplo: Que cultiva vinho = vinícola
a) que come carne: b) que come plantas:
c) estudo dos mortos: d) governo do povo:
3. Observe as palavras sublinhadas nas frases abaixo e informe se a sua formação é prefixal, sufixal, prefixal/sufixal.
a)À noite, em volta da fogueira, os pares cantavam e dançavam.
b)Ela permaneceu imóvel na sala.
c)Ao ouvir a voz da mãe, a garotada correu inquieta.
d)A gata, contemplando a ninhada, parecia feliz com seus filhotes.
e)A criançada passeava pelo parque com grande contentamento.
f) O mecânico azeitou as engrenagens do carro.
4. Indique o processo de formação das palavras abaixo:
1. camisola 13.boquiaberto
2. piu-piu 14.desleal
3. interpor 15.malmequer

4. fidalgo 16.endurecer
5. moto 17.banana-maçã
6. arco-íris 18.arredondar
7. planalto 19.abreugrafia
8. lobisomem 20.combate
9. ultravioleta 21.o sorrir
10. papel-moeda 22.estrago
11. manda-chuva 23.sociologia
12. amoral 24. cine
5. A palavra "aguardente" formou-se por:
a) neologismo d) gíria
b) aglutinação e) derivação regressiva
c) justaposição
6. A palavra engrossar apresenta o mesmo processo de formação de:
a) embalançar d) encobrir
b) abstrair e) perfurar c) encaixotar
7. Que item contém somente palavras formadas por justaposição?
a) desagradável - complemente
b) vaga-lume - pé-de-cabra
c) encruzilhada - estremeceu
d) supersticiosa - valiosas
e) desatarraxou – estremeceu
8.Quem possui inveja é:
a) invejozo d) invejoso
b) invejeiro e) invejador
c) invejado

RETRATO

Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

MEIRELES, Cecília: poesia. Por Darcy Damasceno.
Rio de Janeiro, Agir, 1974. p 19-20.

1. O tema do texto é

(A) a consciência súbita sobre o envelhecimento.
(B) a decepção por encontrar-se já fragilizada.
(C) a falta de alternativa face ao envelhecimento.
(D) a recordação de uma época de juventude.
(E) a revolta diante do espelho.

2. No verso: Eu não tinha estas mãos sem forças... Podemos inferir:
(A) as forças das mãos acabaram por causa da idade.
(B) as mãos não tinham forças na juventude.
(C) as mãos tinham forças na juventude.
(D) as forças das mãos não se acabaram.

3. Responda a pergunta do poema, use a criatividade.
___________________________________________________

4. Identifique os adjetivos usados no poema.


Atividade - pronomes

 

1. Leia a tirinha, retire os pronome e classifique-os.

____________________________________________________________


2 Circule o pronome relativo e indique o seu antecedente:
a) Não conheço ninguém que o possa ajudar.
b) Era um homem que tinha muita coragem.
c) Mal podia esconder a doença que o consumia.
d) Este é o poema do qual lhe falei.
e) Visitei a cidade onde nasceu Manuel Bandeira.

3. Una os períodos com um pronome relativo;
a) Este é o moço. Eu lhe falei do moço.
b) Este é o moço. Eu me encontrei com o moço.
c) Este é o moço. Eu procurei pelo moço.
d) Este é o moço. Devo entregar a encomenda para o moço.

           

 

Trabalhando com tirinhas - gramática aplicada

 

 


1 Leia a tirinha e responda: 

a)Quantos períodos tem no segundo quadrinho? 

b) Podemos dizer que os períodos são simples ou compostos? Justifique sua resposta. 

c)Pode-se classificar a fala de Cebolinha no 3 quadrinho como período composto? Justifique sua resposta. 

d) Qual o tipo textual predominante na tirinha? 

e) Faça a correção ortográfica da fala do Cebolinha, depois classifique as orações em coordenadas ou subordinadas. 


                      Atividade escrita - Termo Integrante

1. Assinale a análise correta do termo destacado em: Essa é minha mãe.
( ) predicado verba l ( ) predicado nominal ( ) sujeito

2. Eu faço o possível para virar uma formiga. O verbo destacado pode ser classificado como:
( )Transitivo direto ( ) transitivo indireto ( ) verbo de ligação

3. 1) Durante o carnaval, fico agitadíssimo. (predicado verbal
2) Durante o carnaval, fico em casa. (predicado nominal)
3) Durante o carnaval, fico vendo o movimento das ruas. (predicado nominal)
Assinale a certa:

a) 1 e 2 b) 2 e 3 c)1 e 3 d) Todas estão corretas

4. "- Muito bom dia, senhora,
Que nessa janela está;
sabe dizer se é possível
algum trabalho encontrar?"
(João Cabral de Melo Neto)

No verso "Que nessa janela está", o verbo é:

a) transitivo direto. b) v. de ligação, c) intransitivo d) transitivo indireto.

5. Em uma das alternativas abaixo, o predicativo inicia o período. Assinale-a.
a) A dificílima viagem será realizada pelo homem.
b) Em suas próprias inexploradas entranhas descobrirá a alegria de conviver.
c) Humanizado tornou-se o sol com a presença humana.
d) Depois da dificílima viagem, o homem ficará satisfeito?
e) O homem procura a si mesmo nas viagens a outros mundos.

6. Achei aquele creme importado para espinha. O destaque indica:
a) predicado nominal.
b) predicado verbo-nominal.
c) predicado verbal.
d) adjunto adverbial.










1. Leia as orações abaixo e classifique-as em: (a) Predicado nominal (b) Predicado verbal

a) ( ) Vera voltou para casa pela manhã.
b) ( ) O rapaz estudou a lição do dia.
c) ( ) Os olhos da criança estavam roxos
d) ( ) O gato de porcelana virou um monte de cacos.
e) ( ) O sol ficou radiante.
f) ( ) Ao vencedor deram as batatas.
g) ( ) A estória parecia confusa.
2. Retorne a questão anterior e sublinhe os verbos e classifique-os em: Transitivo, Intransitivo ou Verbo de Ligação.
3. Leia: O leão parecia contente. A garoto contente olhava para o leão.
a) Qual o sujeito de cada oração?
b) Qual a oração em que o termo triste liga-se ao sujeito por intermédio de um verbo?
c) Classifique o predicado das orações.
d) O período é simples ou composto? Justifique sua resposta.

 

 

Atividade escrita - verbo


1. Leia a noticia:

TÉCNICO DA VENEZUELA INTIMIDA NEYMAR NO INTERVALO E CAUSA TUMULTO

a) Mesmo sem saber quem é Neymar podemos saber sua ocupação? Justifique sua resposta.

b) E qual seria esta ocupação?

c) Quantos verbos (ou formas verbais) há na notícia e em que tempo estão?

d) Essa manchete pode ser organizada em sintagmas.

Técnico da Venezuela intimida Neymar no intervalo e causa tumulto

como podem ser classificados cada um desses sintagmas: nominal ou verbal? Justifique.

e ) Os verbos da manchete são regulares ou irregulares? Justifique.

f) Em que voz esta o verbo intimidar?

 

 

Atividade Escrita - Conjunções


1. Leia os versos:

" Meu sertão continua ao deus-dará
Mas se existe Jesus no firmamento
Cá na terra isto tem que se acabar"
( Gilberto Gil)

a) Que tipo de relação é estabelecida pela conjunção mas?
b) Que outra conjunção poderia ocupar o lugar de mas sem alterar o sentido do texto?

2. Nas questões que seguem, ocorrem duas frases isoladas. Estabeleça entre elas uma relação de coordenação, indicando o tipo de relação. Faça as modificações que julgar necessárias.
a) Ele prometeu um vestido para maria. Ele não cumpriu a promessa.

b) As pessoas acompanham a procissão. As pessoas acreditam nas coisas lá do céu.

c) Vá na frente. Irei depois.

d) Preste atenção. Trata-se de um assunto muito importante.

3. A seguir temos pequenos textos cujos elementos de conexão entre as orações coordenadas foram suprimidos. Sua tarefa será organizá-los, restabelecendo as relações de coordenação.

a) O trânsito estava caótico. / Ninguém chegou atrasado à reunião.

b) Por favor, devolva-me o livro. / Estou precisando dele.

c) " Há muitos tipos de colírios destinados ao tratamento de diferentes doenças dos olhos. Os olhos são órgãos de muita sensibilidade. O uso de qualquer tipo de colírio, sem orientação e controle médico, poderá causar mais problemas do que resultados positivos." ( Manual da boa visão)

d) " Nunca me esqueço de um consórcio de moto que eu fiz quando tinha 17 anos. Estava começando a ganhar dinheiro. Acabei gastando mais do que podia. A cada mês o valor aumentava. fui sorteada. Tirei a moto. As parcelas nunca mais acabavam. Hoje os consórcios podem ter mudado. Eu nunca mais fiz um." ( Meu dinheiro, maio 2001. p.11)

In: Projeto radix - Ernani e Floriana p. 45



Atividade escrita - 6° ano - Substantivo (2)
Atividade
1. Leia com atenção o texto que se segue e sublinhe todos os
substantivos próprios:
Lúcia e Rogério foram ao Gbarbosa para fazer algumas compras. Logo depois que saíram do caixa, foram até o McDonald’s e compraram uma Coca-Cola bem geladinha, porque estava muito calor.
No caminho para casa, Rogério estava distraído com seu Fandangos e acabou sujando seu Nike em uma poça de lama que tinha na calçada.
Lúcia aproveitou que iam passar na frente de uma banca e comprou uma Mônica para ler mais tarde.
Quando chegaram em casa, Rogério estava todo suado e resolveu tomar um banho e se refrescar. Enquanto isso, Lúcia ficou assistindo um pouco de TV, pois já estava passando Procurando Nemo e ela não podia perder.
2. Agora, reescreva todo o texto substituindo os substantivos próprios que você grifou, por substantivos comuns referentes a eles:
Uma mulher e um homem foram...
3. Retire as palavras que contém dígrafo.
4. Retire uma palavra polissílaba, uma dissílaba e uma trissílaba.
5. Identifique no texto palavras que contém ditongo.


Para o Mano Caetano 
O que fazer do ouro de tolo
 
Quando um doce bardo brada a toda brida,
 
Em velas pandas, suas esquisitas rimas?
 
Geografia de verdades, Guanabaras postiças
 
Saudades banguelas, tropicais preguiças?
 
A boca cheia de dentes
 
De um implacável sorriso
 
Morre a cada instante
 
Que devora a voz do morto, e com isso,
 
Ressuscita vampira, sem o menor aviso
 
[...]
 
E eu soy lobo-bolo? lobo-bolo
 
Tipo pra rimar com ouro de tolo?
 
Oh, Narciso Peixe Ornamental!
 
Tease me, tease me outra vez 1
 
Ou em banto baiano
 
Ou em português de Portugal
 
De Natal
 
[...]
 

1 Tease me (caçoe de mim, importune-me).
 

LOBÃO. Disponível em: http://vagalume.uol.com.br.
 
Acesso em: 14 ago. 2009 (adaptado).
 

Na letra da canção apresentada, o compositor Lobão
 
explora vários recursos da língua portuguesa, a fim de
 
conseguir efeitos estéticos ou de sentido. Nessa letra, o
 
autor explora o extrato sonoro do idioma e o uso de termos
 
coloquiais na seguinte passagem:
 

A “Quando um doce bardo brada a toda brida” (v. 2)
 
B “Em velas pandas, suas esquisitas rimas?” (v. 3)
 
C “Que devora a voz do morto” (v. 9)
 
D “lobo-bolo//Tipo pra rimar com ouro de tolo? (v. 11-12)
 
E “Tease me, tease me outra vez” (v. 14)
 
Se quiser, até mesmo em americano
 



1. Forme grupos de 5 componentes.
2. Continue os textos que começam com os versos:

a)Se esta rua,
se esta rua fosse minha....

b) O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada .....

c) Batatinha quando nasce....

d) Cai cai balão....

3. Em sua opinião, estes textos tornaram-se conhecidos por meio da fala ou da escrita?


4. Cite outros exemplos de textos populares.


5. Você sabe o que são quadras ou quadrinhas? Exemplifique.


6. Leia a quadrinha:
 

Menina dos olhos grandes,
olhos grandes como o mar,
Não me olhes com seus olhos
Para eu não me afogar.

(quadra Popular do Rio Grande do Sul)

a) Para você as quadras podem ser consideradas poemas? Por quê?
 

b)De quantos versos cada quadra é formada?

c) Qual nome se dá ao recurso poético que os versos terminam com o mesmo som?

7. Qual é o assunto da quadrinha que vocÊ leu?

8. Que tal você fazer uma quadrinha? Utilize um tema de sua preferência.


obs: Atividade para 6º e 7º ano



Leia:

A Casa do Berço Azul

‘Dona Marcionilha e seu Chico Fiscal.
Era a casa deles.
Gostavam de flores, de vasos e de roseiras.
Um quintal muito grande de fruteiras fartas e escolhidas.
Criação de lebres e de coelhos, da meninada.
Gaiolas dependuradas.
Alçapões. Balanços pelos galhos.
Meninos brincando.
Meus e deles.
Passarinhos.
Frutas maduras pelos galhos, pelo chão.
Geração passada...

A Casa do Berço Azul...
Minha casa amiga...

De dois em dois anos descia do alto da parede da despensa,
onde ficava ancorado, o barquinho de uma nova vida,
prestes a chegar.
Vinha para a terra o pequenino barco.
Seu Chico tomava de um pincel e uma lata de tinta
e pintava o berço, sempre de azul. Renovava o pequeno colchão,
o pequeno travesseiro cheio de paina fina e nova.
Pela casa, panos macios, flanelas,
claros agasalhos, camisinhas, bordados delicados,
rendas, e sempre ela tricotando um xaile de lã azul,
que mostrava sorrindo e feliz às suas amigas.” Cora Coralina

1. Como o eu lírico compõe as lembranças trazidas pela memória?
2. Alem do saudosismo, que outros sentimentos o poema evoca no leitor?
3. que objetos se destacam, no poema, como elementos e voadores de memória? Por quê?
4. A cor azul apresenta alguma simbologia no texto? Esclareça sua resposta.
5. De que forma se criou uma imagem bem viva e real do passado?
6. Retire do texto os substantivos.
7. Explique por que o texto pode ser chamado um ‘poema substantivo’. Transcreva trechos que comprovem sua resposta.


Apelo

Amanhã faz um mês que a Senhora está longe de casa. Primeiros dias, para dizer a verdade, não senti falta, bom chegar tarde, esquecido na conversa de esquina. Não foi ausência por uma semana: o batom ainda no lenço, o prato na mesa por engano, a imagem de relance no espelho.
Com os dias, Senhora, o leite primeira vez coalhou. A notícia de sua perda veio aos poucos: a pilha de jornais ali no chão ninguém os guardou debaixo da escada. Toda a casa era um corredor deserto, e até o canário ficou mudo. Para não dar parte de fraco, ah, Senhora, fui beber com os amigos. Uma hora da noite eles se iam e eu ficava só, sem o perdão de sua presença e todas as aflições do dia, como a última luz na varanda.
E comecei a sentir falta das pequenas brigas por causa do tempero na salada – o meu jeito de querer bem. Acaso é saudade, Senhora? As suas violetas, na janela, não lhes poupei água e elas murcham. Não tenho botão na camisa, calço a meia furada. Que fim levou o saca-rolhas? Nenhum de nós sabe, sem a Senhora, conversar com os outros: bocas raivosas mastigando. Venha para casa, Senhora, por favor.
(Dalton Trevisan)
A carta constitui uma das formas de composição de um texto. Por meio dela se estabelece uma comunicação por escrito, endereçada a uma ou várias pessoas.
Exercício
1- A pessoa que escreve a carta chama-se remetente e a pessoa a quem se destina a carta chama-se destinatário.
No texto “Apelo”:
a) Quem é o remetente? b) Quem é o destinatário?
____________________________________ ___________________________
2- Toda carta possui um determinado objetivo. Qual o objetivo desta carta?
_________________________________________________________________________________
3- O narrador revela no texto os vários sentimentos experimentados pela ausência de sua mulher. Nos primeiros dias, o narrador não sente de ausência de sua mulher.
a) Em que aspecto a não-presença da mulher na casa é favorável ao narrador?
_________________________________________________________________________
b) Identifique a frase do texto que transmita a seguinte informação: durante a primeira semana, não senti a sua ausência.
_________________________________________________________________________
c) Retire do texto uma frase que expresse a ausência da mulher.
_________________________________________________________________________
4- O narrador menciona alguns fatos que, gradativamente, foram revelando a ausência da mulher. Transcreva alguns desses fatos.
_________________________________________________________________________________

 5- Em que frase do texto o narrador informa a solidão provocada pela ausência da mulher?
_________________________________________________________________________
6- Por que o narrador foi “... beber com os amigos...”?

7- O narrador compara a mulher à “... última luz na varanda.” Explique essa comparação.
_________________________________________________________________________
8- Explique o que o autor quis dizer com a seguinte frase:
“ As suas violetas, na janela, não lhes poupei água e elas murcham.”
_________________________________________________________________________9- A palavra “Senhora” adquire no texto um sentido especial, seja pelo ritmo em que aparece nas frases, seja pela grafia, usada com o valor de substantivo próprio. O que sugere no texto o emprego desta palavra?
_____________________________________________________________________________________________
10- Na frase “a pilha de jornais ali no chão ninguém os guardou debaixo da escada”, o pronome oblíquo os, se refere ao que?




Aluno acusado de furtar caderno é detido

O estudante Wilson da Silva, 19, foi preso anteontem acusado de furtar o caderno de uma colega de classe, em Campos do Jordão (175 km de São Paulo). Ele foi solto ontem e disse ter sido espancado na delegacia. À tarde, fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Taubaté. A polícia abriu inquérito para apurar a denúncia. O delegado Adib Jorge Filho, 28, acha “estranha” a versão da agressão.
A prisão do estudante provocou uma manifestação em frente à delegacia de Campos. O advogado do estudante, José Carlos de Carvalho Santos, 37, disse que ele foi vítima da brincadeira de outros alunos. “Alguém colocou o caderno na mochila dele.”
Silva foi preso às 10h30 em frente à estação de trem da Vila Abernéssia, no centro. A estudante Amanda Pereira da Silva, 15, dona do caderno furtado, disse que o rapaz começou a correr quando Amanda gritava “pega ladrão”.
Segundo a polícia, o caderno estava na mochila do rapaz. Ele disse não saber como foi parar lá.
Segundo o delegado, o estudante foi colocado em uma cela, separado de outros presos. O delegado disse estranhar a história do espancamento. O rapaz teria sido agredido às 12h30 de anteontem por dois policiais, mas só contou ao pai depois das 19h30. Antes disso, ele conversou com seu advogado, mas não falou nada sobre a agressão. “Não posso confirmar nem afastar a hipótese da agressão”, disse o delegado.
O advogado de Silva disse que ele deve fazer o reconhecimento de seus supostos agressores amanhã. Segundo o advogado, o estudante tem hematomas nas pernas e dores no estômago.
A mãe de Amanda, Aracy Pereira da Silva,51, disse que não esperava uma repercussão tão grande. “Está virando uma revolução social.” Aracy afirmou que sua filha está sendo discriminada na escola. Segundo ela, a menina tem recebido telefonemas anônimos dizendo que “vai haver troco”. Silva cursa o primeiro ano do segundo grau na escola estadual Theodoro Corrêa Cintra, no centro. Segundo a diretora, Shirley Cintra, 53, “furtos na escola são normais”.
(Folha de São Paulo, São Paulo, 14 de maio 1992.)
1.                 O texto apresenta um fato principal. Qual?
.......................................................................................................................................
2.                 Onde aconteceu esse fato?
.......................................................................................................................................

3.                 A prisão do estudante provocou que reação?
..............................................................................................................................................................................................................................................................................
4.                 Quem vai defender Wilson da Silva?
.......................................................................................................................................
5.                 Por que o delegado acha “estranha” a versão da agressão?
....................................................................................................................................................................
6.                 Para a menina Amanda quais foram as conseqüências do caso?
..............................................................................................................................................................................................................................................................................
Na sua opinião , furtos podem ser considerados “normais”?
............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
8.                 Wilson diz ter sido espancado na delegacia. Na sua opinião é possível ter ocorrido a agressão?
...................................................................................................





Baile no sereno
Cantador canta tristeza,
Canta alegria também.
É de sua natureza
Cantar o mal e o bem.
Pois ele tem dentro dele
O canto que o canto tem....
Rute Rocha. Pois é, poesia. São Paulo.

a) Separe o radical e a vogal temática do verbo cantar no poema acima.
b) Em que pessoa o verbo cantar está conjugado no primeiro e no segundo verso?
c) O verbo cantar é regular ou irregular? Justifique.
d) No poema há outros dois verbos: é e tem. Esses verbos são regulares ou irregulares? Por quê?
e) Forme palavras com o radical do verbo cantar.
f) Existe diferenças de significado nas duas vezes em que a palavra canto aparece no ultimo verso? Qual?
1. Leia:

Toada de amor

E o amor sempre nessa toada:
briga perdoa perdoa briga.
Não se deve xingar a vida,
a gente vive, depois esquece.
Só o amor volta para briga,
para perdoar,
amor cachorro bandido trem.
Mas, se não fosse ele, também
que graça que a vida tinha?
Mariquita, dá cá o pito,
no teu pito está o infinito.

Carlos Drummond de Andrade

2. Neste poema, o tratamento da temática amorosa é característico da primeira faze do Modernismo? Por quê?

3. " No poema, a utilização de rimas é uma forma de combater a estética parnasiana". A seu ver, está correta tal afirmativa? Justifique sua resposta.

4. Transcreva do Texto alguns elementos que você considera característicos do tipo de linguagem utilizados pelos modernistas. Explique por que você os considera assim.

5. (UCP-PR) A poesia modernista revela:
a) ritmo psicológico
b) cotidianismo
c) sintaxe e pontuação revolucionária
d) Estão corretas as afirmações a e c)
e) Estão corretas as afirmações a, b
e c.

Atividade escrita - ortografia
1.      Atividade escrita - 7ª ANO
Abaixo, damos várias palavras, todas oxítonas. Algumas tem acento, outras não. São essas particularidades que queremos mostrar para você, pois elas determinam quais dessas palavras devem ser acentuadas ou não. Observe:
Alguém – oração – caju – canal – café – amor – alcançar – avião – quintal – avô – avó – canção – conseguiu – abacaxi – lição – fubá – estudar – cajá – alteração – veloz – você – cipó – armazém – parabéns – juiz – também – sabiá – corações – cipós – marajás – Amapá – Noé – jaraqui – pacu – céu – chapéu – anzóis – véu – anéis – herói - teu – meu – dodói – viveu – lei – açaí – Itaú – buriti – Rio Maú -
Agora, separe as palavras acentuadas das que não possuem acento.
Palavras acentuadas
Palavras sem acento



A fábula nasceu no Oriente e foi reinventada no Ocidente pelo escravo grego Esopo, que escrevia histórias baseadas em animais, para ensinar como agir com sabedoria.

Na fábula, podem-se distinguir duas partes: A história, isto é, o que acontece, e o significado, ou seja, o que o autor pode transmitir. A parte do significado está sempre no final e é denominada moral, pois passa uma visão do que seja "certo" ou "errado". Às vezes, a moral não está expressa, mas fica subentendida.

As fábulas distinguem-se das outras narrativas em razão da construção alegórica do enredo: Os animais agem, sentem e pensam como as pessoas; tem qualidades e defeitos, podem ser gananciosos, violentos, egoístas, ingênuos, espertalhões, humildes, etc. Distinguem-se também por terminarem com uma linha moral que termina em provérbio, aspecto bastante significativo na cultura popular.

São histórias que possuem uma estrutura mínima de enredo e de composição que sobrevive a todo tipo de modificação.

A fábula é uma história de pessoas e também de animais, pois estes falam e tem sentimentos, o que indica que são personificações dos seres humanos. O plano de leitura é sempre relativo à vida dos seres humanos.


Disciplina: Língua Portuguesa 
Avaliação final III Unidade
Leia com atenção, não rasure e use caneta azul ou preta.
A morte da tartaruga
O menininho foi ao quintal e voltou chorando: a tartaruga tinha morrido. A mãe foi ao quintal com ele, mexeu na tartaruga com um pau (tinha nojo daquele bicho) e constatou que a tartaruga tinha morrido mesmo. Diante da confirmação da mãe, o garoto pôs-se a chorar ainda com mais força. A mãe a princípio ficou penalizada, mas logo começou a ficar aborrecida com o choro do menino. “Cuidado, senão você acorda seu pai.” Mas o menino não se conformava. Pegou a tartaruga no colo e pôs-se a acariciar-lhe o casco duro. A mãe disse que comprava outra, mas ele respondeu que não queria, queria aquela, viva! A mãe lhe prometeu um carrinho, um velocípede, lhe prometeu, por fim, uma surra, mas o pobre menino parecia estar mesmo profundamente abalado com a morte do seu animalzinho de estimação.
Afinal, com tanto choro, o pai acordou lá dentro e veio estremunhado, ver de que se tratava. O menino mostrou-lhe a tartaruga morta. A mãe disse: “Está aí assim há duas horas, chorando que nem maluco. Não sei mais o que faço. Já lhe prometi tudo, mas ele continua berrando desse jeito”. O pai examinou a situação e propôs: “Olha, Henriquinho, se a tartaruga está morta, não adianta mesmo você chorar. Deixa ela aí e venha cá com o papai”. O garoto depôs cuidadosamente a tartaruga junto ao tanque e seguiu o pai pela mão. O pai sentou-se na poltrona, botou o garotinho no colo e disse: “Eu sei que você sente muito a morte da tartaruguinha. Eu também gostava bastante dela. Porém nós vamos fazer para ela um grande funeral” (empregou a palavra difícil de propósito). O menininho parou imediatamente de chorar e perguntou: “Que é um funeral?” O pai explicou que era um enterro: “Olha, nós vamos à rua, compramos uma caixa bem bonita, bastante velas, bombons e doces, e voltamos para casa. Depois, botamos a tartaruga na caixa em cima da mesa da cozinha, rodeamos de velinhas de aniversário. Aí convidamos os meninos da vizinhança, acendemos as velinhas, cantamos o “Happy-Birth-Day-To-You” pra tartaruguinha morta e você assopra as velas. Depois pegamos a caixa, abrimos um buraco no fundo do quintal, enterramos a tartaruguinha e botamos uma pedra em cima com o nome dela e o dia em que ela morreu... Isso é que é um funeral! Vamos fazer isso?” O garotinho estava com outra cara: “Vamos, papai, vamos! A tartaruguinha vai ficar contente lá no céu, não vai? Olha, eu vou apanhar ela.” Saiu correndo. Enquanto o pai se vestia, ouviu um grito no quintal: “Papai, papai, vem cá, ela está viva!” O pai correu para o quintal e constatou que era verdade, a tartaruga estava andando de novo, normalmente, e o pai disse: “Que bom, heim? Ela está viva! Não vamos ter que fazer o funeral.”“Vamos sim, papai” – disse o menino ansioso pegando uma pedra bem grande – “Eu mato ela”.
MORAL: O importante não é a morte, e sim o que ela nos tira.
(Millôr Fernandes)


I – Estudo do Texto:
1. A tartaruga morreu. Qual foi o indicio desta comprovação?
_______________________________________________________________________
2. A informação sobre a morte da tartaruga foi verdadeira? Justifique sua resposta.­­­­­­________________________________________________________________________
 (1) ativa (2) passiva (3) reflexiva
( ) Carlos saiu à pressa.( ) Os garçons entrechocavam-se no salão.
( ) Casas eram vendidas a preço de banana.( ) A terra cobre os erros médicos.
( ) Formou-se uma gritaria.
4. Passando para a voz ativa a oração "O carro deve ser consertado pelos três mecânicos." obtém-se a forma verbal:
( ) devem consertar ( ) deve-se consertar ( ) consertar-se-á
5. Passando para a voz passiva a oração "O tropel dos cavalos avisava os cangaceiros.", a forma verbal será:
( ) avisava-se ( ) foram avisados ( ) eram avisados
6. Passe as frases, abaixo, da voz passiva para a ativa:
a) A harmonia foi restabelecida pelo professor
____________________________________________________________________
b) Serias aplaudido por todos.
____________________________________________________________________
7. Retirem do texto dez verbos.
_______________________________________________________________________
8. Em: O garoto pôs-se a chorar ainda com mais força. O verbo está:
( ) voz passiva ( ) voz ativa ( ) voz reflexiva
9. Em: “Papai, papai, vem cá, ela está viva!”. O verbo está:
(     ) voz passiva (       ) voz ativa (      ) voz reflexiva
10. Transforme as frases, a seguir, para a voz passiva:
a) O segurança os acompanhará. _________________________________________________
b) Nós rodeamos o bolo de velinhas.______________________________________________


O Leão e o Rato

Estava um rato prestes a ser devorado por um gato faminto quando o leão que passava por perto, comovido com seu desespero, espantou o gato pra longe. Refeito do susto, o ratinho agradeceu:
“Muito obrigado por salvar minha vida, majestade. O senhor é o rei da floresta e não precisaria se incomodar com um ser tão insignificante como eu. Mas um dia eu hei de lhe retribuir esse favor.”
O leão, que não havia feito aquilo pensando em recompensa, seguiu o seu caminho:“Pobre ratinho, como poderia ele retribuir um favor ao rei dos animais?”

No dia seguinte, o leão andava distraído quando pisou numa rede estendida para aprisioná-lo. Assim que pôs a pata na armadilha, a rede se fechou sobre o seu corpo.“Ai de mim. Ficarei aqui a noite inteira até que cheguem os caçadores e me matem sem dó nem piedade.”Eis que pela estrada vem passando o ratinho seu amigo. Ao ver o leão naquela situação, prontificou-se no mesmo instante:“É já que vou retribuir o favor que você me fez.”E pôs-se a roer as cordas até livrar o leão da rede dos caçadores.

Fábulas de Esopo. Adapt. De Ivana Arruda Leite. São Paulo: Escala Educacional. 2004.


                 
O ratinho e o Leão

Um ratinho distraído não prestou muita atenção.E acabou capturado entre as patas de um leão!
“Senhor, leão, não me devore e me solte, meu senhor,que um dia ainda posso lhe pagar este favor!”
O leão morreu de rir:“Como posso precisar de alguém tão pequeno assim?Pode ir cuidar da sua vida, deixe que eu cuido de mim!”

O ratinho viu-se livre, e o leão, com majestade,Afastou-se de mansinho, todo cheio de vaidade.
Mas foi só andar dois passos e sentiu faltar-lhe o chão:uma rede muito forte prendeu firme o leão!

Nem a força que ele tinha, nem seu urro de assustar,Nessa hora não serviam para a fera libertar.
O ratinho, muito aflito, apressou-se a correr,E, com dentes afiados pôs-se as cordas a roer.

O trabalho do ratinho, a roer sem descansar,Só levou alguns minutos para a rede arrebentar!”
“A você eu devo a vida”, disse o humilde leão.“Por ter sido orgulhoso, a você peço perdão!”
E o leão saiu pensando, bem feliz por estar vivo,Que, conforme a ocasião, o tamanho é relativo...

E lá vem palpite!

Certa vez uma, pulguinha resolveu me atormentar.Enfiou-se em minha roupa e se pôs logo a picar.
Procurei, que procurei, me coçando da mordida,E, afinal, eu encontrei a pulguinha escondida.
Com a unha ia esmagá-la, quando foi que eu lembrei Da história do ratinho que eu sempre admirei.

Resolvi então soltá-la e se foi ela pulando.Desde então a sua ajuda eu fiquei cá esperando...
Fábula é sempre moral, qualquer um sempre divulga.Mas pensar em gratidão não é o caso da pulga!
Mas em que uma pulguinha ia poder me ajudar?Pulga não serve pra nada, serve só para coçar!

Bandeira, Pedro. Fábulas Palpitadas/ recontadas em verso
e comentadas por Pedro Bandeira. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2007. p. 37.


ATIVIDADES

1. Quem são os personagens dessas fábulas?
2. Onde a história acontece?
3. Cite a diferença entra a fábula do seu caderno e a fábula contada pela professora.
4. Faça como Pedro Bandeira e dê o seu palpite a respeito desta fábula.
5. Transforme as frases em perguntas substituindo as expressões em destaque pela palavra “Quem” no início. Não se esqueça do ponto de interrogação.
a)O ratinho estava distraído.
b)O leão morreu de rir.
c)O ratinho viu-se livre.
d)O leão saiu pensando.
6. Transforme as frases em exclamativas. Não esqueça do ponto de exclamação. Use a palavra “Como” no início.
a)O ratinho era distraído.
b)Era difícil prestar atenção.
c)O ratinho viu-se livre.
d)Ele estava feliz.
e)Roeu sem descansar.
Com base no texto de seu caderno, responda as questões abaixo.
7. A atitude do leão para salvar o rato demonstra:
a) (     ) inveja do gato.
b) (     ) piedade pelo rato.
c) (     ) desprezo pelo rato.
d) (     ) egoísmo por ser mais forte.
8. O sentimento do rato em relação a atitude do leão indica:
a) (     ) astúcia.
b) (     ) vaidade.
c) (     ) gratidão.
d) (     ) liberdade.
9. O leão foi aprisionado por causa:
a) (     ) da sua distração.
b) (     ) da mata fechada.
c) (     ) do desejo de vingança do gato.
d) (     ) do seu desconhecimento do ambiente.
10. O ensinamento dessa fábula é:
a) (     ) O orgulho leva à morte.
b) (     ) É melhor confiar desconfiando.
c) (     ) Quando a sorte muda, os fortes necessitam dos mais fracos.
d) (     ) Aos poderosos, tudo se desculpa; aos miseráveis, nada se perdoa.
11. O trecho “... quando pisou numa rede estendida para aprisioná-lo” comprova que os caçadores pretendiam:
a) (     ) caçar o leão.
b) (     ) ajudar o rato.
c) (     ) testar a armadilha.
d) (     ) caçar qualquer animal.
12. A fala do leão preso na armadilha confirma o sentimento de:
a) (     ) falta de esperança em ser salvo.
b) (     ) surpresa com a atitude dos caçadores.
c) (     ) esperança de chegar um amigo e salvá-lo.
d) (     ) certeza de que ia livrar-se sozinho da armadilha.


Conto Poema: O BRINQUEDO ABANDONADO de Pedro Bandeira


Dois meninos, muito amigos, lá num parque a brincar,
encontraram um skate – novo em folha, exemplar!
O primeiro disse ao outro: "Isso é que é sorte de rei!
Pra brincar toda esta tarde, um skate eu achei!"

Respondeu o companheiro sem mostrar nenhum prazer:
"Fomos nós que encontramos, você devia dizer!"
O primeiro até sorriu e foi saindo de perto:
"O que é bom só acontece pra quem for o mais esperto!"

Deu-lhe as costas com desprezo, ajeitou-se no brinquedo
e saiu a deslizar pelo meio do arvoredo.
Foi aí que um grandalhão apareceu de repente,
com cara de poucos amigos, furioso, impertinente:

"Este skate é muito meu, e eu vou lhe dar a prova.
Venha cá, seu ladrãozinho, pra aprender com uma sova!"
Já sem cor, de tanto susto, com os olhos assustados,
ele gritou para o amigo: "Ui! Nós fomos apanhados!"

O amigo viu que aquela era uma ocasião
para ver se o egoísta aprenderia uma lição:
"Mas você, agora mesmo, não me disse que era esperto?
Não me venha com esse fomos! Fui apanhado é o certo!"
Foi saindo, calmamente, já que não era brigão,
e deixou o tal esperto a explicar-se pro grandão.

BANDEIRA, Pedro. A hora do desconto / fábulas recontadas em verso e comentadas por Pedro Bandeira. 1. ed. - São Paulo: Moderna, 2006. - (coleção girassol)

1) Qual o assunto do texto?
 

2) Esse texto é uma narrativa ou um texto de opinião? Explique.
3) Esse conto nos ensina que:
a)(     )o mundo é dos mais espertos
b)(     )devemos partilhar as coisas
c)(     )é bom brincar no parque
d)(     )nenhuma das respostas anteriores

4) Retire do texto:
a) Dois substantivos no gênero feminino:
b) Dois substantivos no gênero masculino:


É hora do desconto

Um desses dois não queria o brinquedo partilhar e esquecia o companheiro quando queria brincar.E o outro abandonava o amigo em perigo e dizia, vingativo: "Nada disso é comigo!"
Esses nem eram amigos, isso eu digo na verdade,pois amizade é sinônimo de solidariedade!
Pedro Bandeira
1) Um dos meninos não queria partilhar o brinquedo porque:
a)(     )o skate era muito bonito   b)(     )o amigo era muito chato
c)(     )queria brincar sozinho     d(     )não dava para brincar os dois
2) Qual a função das "aspas" no segundo verso da segunda estrofe? 
 
3) O que o autor quis dizer quando escreveu “amizade é sinônimo de solidariedade” ?

4) Qual a sua opinião a respeito da vingança?

5) Faça uma narrativa de uma situação envolvendo você e um(a) amigo (a).


 

Como seria o mundo se algumas pessoas pudessem controlar as outras apenas com uma pílula? O livro de Pedro Bandeira, “A droga da Obediência”, mostra uma incrível história onde isso seria possível, mas graças a inteligência e atitude de um grupo de jovens detetives, esse plano sinistro foi descoberto.
Os Karas (Miguel, Calú, Crânio, Magri e Chumbinho) são adolescentes e amigos que estudam no colégio Elite. Eles reúnem-se em seu esconderijo secreto no forro do vestiário do colégio e montam um plano de ação para libertar Chumbinho, que também foi sequestrado. Depois de uma série de investigações, chegam à Pain Control, uma empresa que deseja controlar a dor da humanidade através de uma droga poderosa que faz com que qualquer um que a experimente fique fiel como um cãozinho, obedecendo todas as ordens e sob o domínio do poderoso doutor Q.I.. Esse louco cientista usa estudantes para testar suas ideias e drogas para dominar toda a humanidade. Na Pain Control os estudantes são obrigados a fazerem atividades físicas sem parar, ultrapassando todos os limites do corpo, mas sem sentir dor por causa da droga. O futuro do mundo depende dos Karas. É um livro excelente, para quem não gosta de monotonia e sim de suspense misturado com aventura e também grandes surpresas.A Droga da Obediência é o primeiro livro da série dos Karas, juntos eles se aventuram no combate ao crime em outros livros do Pedro como “Pântano de Sangue”, “A droga do amor”, “Anjo da Morte” e “Droga de Americana”. Pedro Bandeira já trabalhou como ator, diretor, cenógrafo, redator, editor e comerciais, mas a partir de 1983 tornou-se exclusivamente ator. Seus livros são voltados para crianças onde escreve contos, poemas e narrativas de diversos gêneros.
1. O texto acima é:
a) (     ) uma propaganda.b) (     ) uma biografia. c) (     ) uma resenha.d) (     ) uma notícia.
2. Esse texto serve para:
a) (     ) apresentar o autor do livro.      b) (     ) distrair o leitor.c) (     ) informar sobre o livro. d) (     ) ensinar a fazer uma investigação.
3. Copie do texto o trecho que expressa a opinião da autora a respeito do livro.
4. Quem é o autor do livro “A droga da obediência” ?
5. A palavra “obediência” é uma:    a) (     ) oxítona.b) (     ) paroxítona.c) (     ) proparoxítona.
fonte:  desmontando texto

Nenhum comentário:

Postar um comentário